Renato Aragão: Entrei na internet por causa de fake news

Para quem acompanha Renato Aragão desde a década de 1970, é muito legal encontrá-lo hoje, aos 84 anos, feliz da vida gravando vídeos bem-humorados para o Instagram. E foi justamente o sucesso instantâneo que alcançou na internet (2,6 milhões de seguidores em poucos meses) que me levou a procurá-lo para uma entrevista (veja o vídeo acima).
Didi recebeu o UOL em sua casa, num condomínio na Barra da Tijuca, na última sexta-feira (21). Contou que a motivação inicial para abrir a conta no Instagram foi o excesso de fake news publicadas a seu respeito. "Já morri tantas vezes", suspira. Contou, a propósito, que encarregou advogados de processarem os autores de calúnias a seu respeito. "Vão pegar uma cadeia boa", espera.
A conversa enveredou logo por assuntos mais agradáveis – o filme que propôs à Globo Filmes e o seriado que escreveu para a emissora carioca, ambos protagonizados pelo eterno Didi. "Tenho o Didi dentro de mim, vou com ele até o fim da minha vida", diz.
Também falou sobre humor – o que não sabe fazer (humor político) e aquele em que se especializou – um humor infantil, para qualquer idade. Revelou que alertou a Globo sobre o risco de fazer um especial sobre Os Trapalhões com atores novos – o programa foi rejeitado pelo público. "Os Trapalhões são insubstituíveis", diz.

Nenhum comentário