Marcão do Povo fala sobre rixa com Dudu Camargo


Apresentadores do "Primeiro Impacto", telejornal matutino do SBT, Dudu Camargo e Marcão do Povo não costumam trocar amabilidades na passagem de bastão entre blocos que comandam. Marcão, no entanto, nega que exista alguma rixa entre ele e o colega, pupilo de Silvio Santos.
"O povo inventa demais. Não tem nada disso. Somos companheiros de trabalho e trabalhamos em prol da emissora. Não sou amigo dele, mas somos colegas de trabalho. O seu direito começa quando o meu termina e vice-versa", disse Marcão ao UOL, sem querer entrar em detalhes de quem invadiu o direito do outro.
Mesmo tentando evitar polêmica, o apresentador deixou no ar uma indireta ao afirmar que "quem estiver insatisfeito, que peça as contas e vá embora".
"O SBT é maior do que qualquer pessoa, maior do que qualquer vaidade, qualquer profissional. Então, assim, quem não estiver satisfeito, que peça as contas e vá embora", disse ele durante o lançamento do livro "Furacão Anitta", de Leo Dias, em São Paulo.
Em janeiro, Marcão do Povo se irritou por Dudu ter se estendido na despedida de seu bloco no telejornal. "Eu achei que você ia continuar. Até 8h30 e o cara não para de falar", disse Marcão, que não cumprimentou o colega.
Em dezembro, o apresentador promoveu uma confraternização de fim de ano em um buffet, convidou quase toda a equipe de jornalismo do SBT, mas ausência de Dudu Camargo foi notada.
Colunista do UOL Ricardo Feltrin descreveu os dois aprentadores como "duas divas mimadas": "trabalham na mesma empresa e disputam a simpatia do dono, por isso não se suportam, não convivem, mal se olham. Só mantêm contato estritamente necessário diante do vídeo ou fora dele".

"Maior vítima de fofocas do Brasil"

Marcão se considera a "maior vítima de fofocas no Brasil", mas garante lidar com naturalidade com as críticas, que atribui a seu "brilho".
O apresentador conta uma fábula para explicar como reage aos comentários. "O vagalume certa vez estava andando na floresta e, de repente, uma cobra começou a correr atrás dele. Lá à frente, o vagalume parou e falou: 'Eu faço parte da sua cadeia alimentar?'. A cobra disse: 'Não. Eu só te persigo porque o seu brilho me incomoda'".

Nenhum comentário