Breaking News

Vitória Strada sobre Cris estar dividida entre Danilo e Alain em ‘Espelho da vida’

Ser três em uma impõe um ritmo eletrizante a Vitória Strada, protagonista de “Espelho da vida”. Na novela das seis, a atriz se divide
entre passado e presente em sucessivas viagens no tempo. Na pele de Júlia Castello, é uma mocinha dos anos 1930. Já como Cris, interpreta uma contemporânea estrela do cinema nacional que embarca para uma época distante para se encontrar com a sua existência anterior. No meio disso tudo, a heroína da trama de Elizabeth Jhin se vê às voltas com encontros, desencontros, amores, dores... tudo em dose dupla! E, de quebra, a ex-namorada de Alain (João Vicente de Castro) ainda tem que provar sua lucidez em meio a “maluquez’’ que sua rotina se transformou. Não à toa, ela deu munição para a vilã Isabel (Alinne Moraes) armar e interná-la numa clínica psiquiátrica.
— É uma confusão (risos). Fui ao médico esses dias e uma senhora me perguntou: “Você faz aquela novela maluca?’’. Essa trama é tão cheia de acontecimentos que poderia ser uma série. A gente sempre quer saber o que está por vir. É muito gostoso tanto de ler, quanto de fazer. Não poderia estar mais feliz, é muito complexo contar essa história de vários ângulos — frisa a artista, de 22 anos.
Um aspecto que tira o sono de Cris é sua movimentada vida amorosa. No passado, quando atendia pelo nome de Júlia, ela suspirava por Danilo (Rafael Cardoso). No presente, vive uma relação conflituosa com Alain. E, num futuro próximo, terá um romance com Daniel, a reencarnação de Danilo. Nesse mar de amor, Vitória, que garante estar solteira (houve suspeitas de que ela e João Vicente de Castro estariam juntos), não mergulha. A atriz fica só observando para onde a onda vai levá-la.
— Sinceramente, eu acredito nesses dois amores. Meu lado romântico vibra por esse amor puro, com Danilo/Daniel. Mas eu também acredito nas relações em que um aprende com o outro, em que os dois evoluem juntos — diz ela, referindo-se a Alain.


Cris/Julia (Vitória Strada) entre Danilo (Rafael Cardoso) e Gustavo Bruno (João Vicente de Castro).
Cris/Julia (Vitória Strada) entre Danilo (Rafael Cardoso) e Gustavo Bruno (João Vicente de Castro). Foto: Victor Pollak/Rede Globo/Divulgação
Após estrear em novelas como a protagonista de “Tempo de amar” (2017), Vitória mais uma vez ocupa o papel principal de um folhetim. Apesar do sucesso, procura deixar os pés no chão.
— Não vou deixar de ser natural, ser outra coisa só porque cheguei num determinado lugar.
Foco nos bons sentimentos e na amizade
Nem só de boas vibrações vive uma estrela de novela. Madura, Vitória tem consciência de que pode despertar sentimentos ruins em pessoas que gostariam de ocupar o seu lugar.
— Eu penso na inveja como uma coisa péssima. Se a gente acredita que cada um tem o seu caminho e que cada um pode brilhar individualmente, por que sentir inveja de alguém? Eu posso ser atriz e outras pessoas também. Dá para chegar lá, para ter conquistas, com todo mundo junto — defende a intérprete.
Segundo ela, ainda dá para fazer amizades verdadeiras no ambiente de trabalho:
— Irene Ravache é minha melhor amiga aqui e Júlia Lemmertz é da minha família, praticamente.

Nenhum comentário