Breaking News

No ar em ‘Orgulho e paixão’, Tammy Di Calafiori festeja primeira vilã


A vida de Fani Pricelli, personagem de Tammy Di Calafiori em “Orgulho e paixão”, sempre foi marcada pela austeridade e ausência de cores. Antes empurrada pelos dramas da vida a esse caminho, agora, ao retomar a relação familiar, a italiana vê as porteiras
de uma nova vida abertas e tons diferentes.

— Após a morte do pai, Gaetano (Jairo Mattos), ela percebe que será o centro de apoio da família. Mas isso se dá por conta da transformação que passou ao longo de sua trajetória — diz a atriz, que viu também em sua vida pessoal a necessidade de tomar as rédeas do seu destino: — Comecei a trabalhar aos 16 anos e tive que me tornar mulher muito mais cedo. Outra situação foi o fato de a minha avó, que me acompanhava em tudo, ter adoecido. Sem ela, fui obrigada a tomar a frente de tudo.

Nascida numa pobre família numerosa, Fani foi entregue pelos pais ao rico clã Tibúrcio. O intuito dos Pricelli era que ela tivesse uma vida melhor, mas a menina se transformou numa empregada de luxo da malvada Josephine (Christine Fernandes). Assim, ela ela se fechou e se fez uma pessoa amarga, afastada dos parentes. Mas, no fim das contas, a vida se encarregou de refazer os laços:

— Às vezes, as pessoas nos amam de uma forma que não gostaríamos, mas isso não quer dizer que não seja amor. Quando compreendemos, as coisas mudam.

Apesar da conversão de
caráter, Fani foi vilã boa parte da novela. Por onde passava, tratava de deixar sua marca azeda. Por isso, a atriz de 29 anos viu o público se voltar contra ela pela primeira vez na carreira.

— Conquistei o que eu queria, um olhar diferente do público. As pessoas diziam que “eu era ruim”, que “não queriam tirar foto comigo porque estava malvada demais”. Achei engraçado e fiquei feliz em ver que a abordagem mudou com o tempo. Hoje, dizem para eu perdoar todo mundo porque o amor transforma.

‘Tenho vontade de casar, mas não numa cerimônia tradicional’

Há um outro lado da vida de Fani Pricelli que também está florescendo! Aos poucos, ela está se reaproximando de seu amor da juventude, Edmundo (Nando Rodrigues), herdeiro de Josephine e Almirante Tibúrcio. Só que, mais uma vez, ela tomou as rédeas da relação, retratada numa história ambientada no início do século 20. Disse “não” ao pedido de casamento, preferindo manter o namoro.

— Acho bonito mostrar que uma mulher pode escolher o que ela quer para a vida dela. Não acredito que Fani e Edmundo terminem casados, mas, juntos, sim. Com essa atitude, ela não se importou em ser julgada — entrega ela, que, comprometida há quase um ano, prefere não revelar a identidade do namorado: — Tenho vontade de casar, mas não numa cerimônia tradicional e com véu e grinalda.


https://extra.globo.com/tv-e-lazer/no-ar-em-orgulho-paixao-tammy-di-calafiori-festeja-primeira-vila-conquistei-que-eu-queria-23071917.html

Nenhum comentário